sábado , 16 dezembro 2017
Home / Destaque / Elétrico: nos pênaltis, Fluminense vence o Flamengo e leva a Taça Guanabara

Elétrico: nos pênaltis, Fluminense vence o Flamengo e leva a Taça Guanabara

Apesar da derrota nos pênaltis, Guerrero teve mais uma boa atuação pelo Flamengo. O peruano participou diretamente dos dois primeiros gols e marcou o terceiro em bela cobrança de falta. Além disso, deixou sua marca na decisão de pênaltis. Com sete gols, ele é o vice-artilheiro do Carioca .

Júlio César saiu mal no primeiro gol do Flamengo, deu rebote no segundo, mas deixa o Nilton Santos como um dos heróis da conquista da Taça Guanabara. A defesa do pênalti de Réver foi fundamental para colocar o Fluminense em vantagem. Ele ainda viu Rafael Vaz mandar sua cobrança para fora

Houve quem quisesse privar as torcidas de assistir ao Fla-Flu. Seria um pecado. O jogo no Nilton Santos foi digno de casa cheia – 25.451 pagantes e 27.549 presentes. Em tempos conturbados, em que torcidas e dirigentes não se entendem, venceu o futebol carioca. O Fluminense, além do título, comemora uma vaga antecipada nas semifinais do Campeonato Carioca. Ao Flamengo resta pensar na Taça Rio e, especialmente, na Libertadores. O Rubro-Negro estreia na competição na quarta, contra o San Lorenzo, no Maracanã.

Calculadora em mãos? Vamos ao primeiro tempo. O Fluminense saiu na frente. Aos quatro minutos, Wellington Silva puxou contra-ataque após chute de Trauco, arrancou do campo de defesa (correu 74 metros), passou como quis por Pará e bateu na saída de Muralha: 1 a 0. A vantagem tricolor, no entanto, durou pouco. Logo depois, Mancuello levantou, Guerrero ganhou de cabeça do goleiro Julio César, Rafael Vaz escorou, e Arão empatou. Isso tudo com oito minutos de jogo. E teve tempo para muito mais. O Rubro-Negro virou com Everton, que aproveitou rebote de Julio César após cabeçada de Guerrero. Mesmo em vantagem, o Flamengo tinha mais a bola, mas deixava a defesa exposta. E pagou caro por isso. Aos 31, Guerrero colocou a mão na bola. Pênalti, que Henrique Dourado cobrou para empatar. Aos 40, o Tricolor aproveitou mais uma vez o buraco na defesa rubro-negra e virou com Lucas. Jogaço no Nilton Santos!

Geralmente, quando um primeiro tempo é elétrico, a segunda etapa deixa um pouco a desejar. E foi o que aconteceu no Nilton Santos. O ritmo do jogo caiu. Melhor para o Fluminense, que jogou com a vantagem e, com toque de bola e muita marcação, dominou o meio de campo. Richarlison e Wellington eram perigosos nos contra-ataques. Do outro lado, com Diego apagado, Zé Ricardo ousou e trocou Mancuello, Arão e Trauco por Gabriel, Berrío e Vizeu. Com cinco atacantes, mais na vontade do que na organização, o Flamengo melhorou, passou a incomodar e levou perigo em finalizações de Berrío, Diego e Vizeu. O empate, que estava amadurecendo, veio em bela cobrança de falta de Guerrero, aos 39 minutos. Tudo igual e disputa por pênaltis. O título foi decidido nas cobranças de pênaltis. Aí pesou a eficiência do Fluminense, que teve 100% em quatro cobranças: Lucas, Henrique, Marquinho marcaram. o Flamengo também abriu bem as cobranças com Diego e Guerrero. No entanto, Rever e Rafael Vaz perderam, Marcos Júnior acertou a quarta e deu o título ao Tricolor (4 a 2).

 

 

Fonte : Globo esporte

 

Comments

comments

Veja Também

Meninas Barrolandenses brilham no Campeonato Baiano de 2017

Miúda e Elizama, que defenderam a Seleção Feminina de Belmonte em 2015, e foram campeã ...